Viseu vai ter ecopontos florestais

2019-02-11

 Viseu vai ter ecopontos florestais

O presidente da Câmara, Almeida Henriques  explicou  que são espaços entre meio hectare e um hectare  que vão estar em todas as freguesias, devidamente acondicionados e vedados. O objetivo é sensibilizar as pessoas para a recolha dos resíduos.

Por exemplo, explicou o edil, na altura da poda das videiras e das árvores, os particulares, as juntas de freguesia e a Câmara poderão depositar os resíduos nesses ecopontos.

“A lógica é que esta consciência cívica dos nossos cidadãos nas várias freguesias e na cidade possa permitir criar valor para as juntas de freguesia”, frisou Almeida Henriques.

Com a criação dos ecopontos, serão definidas regras, “designadamente proibindo as queimas e dizendo que é obrigatório depositar todos esses resíduos nos ecopontos”, acrescentou o autarca.

O promotor da central de biomassa que está a ser construida em Viseu, Carlos Alegria, afirmou que  todos os presidentes de junta de freguesia de Viseu concordaram com a criação dos ecopontos e está a ser estudada a sua localização.

“É um projeto-piloto só da Câmara de Viseu e a ideia é replicar, não só cá, mas também lá fora, porque é inovador a nível internacional”, sublinhou Carlos Alegria.  

A central de biomassa  está a ser construída desde junho de 2018 numa área de dez hectares, no lugar de Chão D'Alva, na freguesia do Mundão e encontra-se em fase de testes como disse Carlos Alegria.  A infraestrutura  deverá estar a funcionar em pleno dentro de tres meses e representa um investimentos de 52 milhões de euros.

O responsável afirmou  que ali vão trabalhar diariamente, entre 30 e 35 pessoas, mas que representam 300 postos de trabalho indirectos.