Academia do Linho de Várzea de Calde regressa em janeiro com nova etapa do ciclo

2018-12-25

Academia do Linho de Várzea de Calde regressa em janeiro com nova etapa do ciclo

A Academia do Linho de Várzea de Calde está já a preparar a próxima aventura para todos os petizes. A segunda etapa do ciclo do linho – assedar e fiar – tem data marcada para o próximo dia 4 de janeiro de 2019 e será realizada ao final da tarde, propondo a todos um serão na “aldeia-milagre”. As inscrições podem ser realizadas online, em www.academiadolinho.pt, ou presencialmente, na Casa de Lavoura e Oficina do Linho, em Várzea de Calde.

Neste regresso ao mundo rural, após a fase do maçar e tascar, as crianças terão oportunidade de participar de uma das fases mais importantes do processo, na qual surge o fio que vai dar a origem à tecelagem. Para isso, e recuperando a tradição ancestral do linho, na qual a tarefa do fiar era realizada à noite, junto à lareira, os petizes são convidados a recriar o processo num cenário idêntico.

A inscrição nesta etapa tem o custo de 10 euros, valor este que inclui o seguro, o kit de participante e os materiais essenciais à atividade, o transporte e ainda as refeições.

Para efetuar a inscrição do seu petiz, deverá ler as normas de participação, preencher o respetivo formulário e declaração de responsabilidade de menor, e submeter ou anexar os documentos necessários. Posteriormente, será contactado para a respetiva confirmação da inscrição, assim como o procedimento para o respetivo pagamento.

Conhecer de perto a arte ancestral do linho e participar deste ciclo anual, vestindo a pele de repórter, investigador e agricultor, é o desafio que a Academia do Linho de Várzea de Calde coloca aos mais pequenos, em pleno mundo rural.

A iniciativa é promovida pela Cooperativa do Linho de Várzea de Calde, o Grupo Etnográfico local e as Escolas Superior de Educação e Agrária de Viseu, contando com a parceria e o apoio do Município de Viseu e do seu Museu do Linho de Várzea de Calde. As ações educativas têm financiamento ao abrigo da linha “Revitalizar”, do programa municipal VISEU CULTURA.