Potencial da internacionalização da música portuguesa em debate

2018-10-26

Potencial da internacionalização da música portuguesa em debate

"Este evento pretende afirmar-se como 'Estados gerais' da exportação musical portuguesa", antecipou à agência Lusa Hugo Ferreira, da direção da Why Portugal, plataforma de promoção da música nacional fundada em 2015.

O debate pretende tomar o pulso ao estado da internacionalização da música portuguesa, avaliando o trabalho dos últimos anos e explorando mecanismos e estratégias de apoio para lançar "os novos caminhos a seguir".

Segundo o responsável da Why Portugal, "Portugal começou finalmente a ver o setor musical a organizar-se entre várias associações setoriais e redes" e surgiram eventos profissionais focados na exportação, como o Westway Lab, que vai para a sexta edição em Guimarães, ou o MIL, em Lisboa.

Mas, aponta Hugo Ferreira, "nunca se realizou um evento apenas focado no diagnóstico e no rumo da exportação musical portuguesa. Este acaba por ser, portanto, um evento inédito no seu conceito".

"Há resultados evidentes do retorno do trabalho desenvolvido nos últimos dois anos e precisamos, em conjunto e na presença de instituições e de decisores, de fazer um diagnóstico e de planear o futuro da exportação musical, em conjunto", explica, a propósito desta primeira edição de Why Portugal Music Export.

Dirigido a artistas, empresas e instituições que trabalham profissionalmente com a música e se relacionam, de alguma forma, com a exportação musical portuguesa, o evento contará com a presença de representantes internacionais do festival Eurosonic, do Bureau Export francês e de redes europeias como a European Talent Exchange Program e a European Music Export Exchange.

Nos últimos três anos, a Why Portugal acompanhou muitas iniciativas de artistas e empresas nacionais: "fazemos um balanço extremamente positivo. Cada vez se fala mais da música portuguesa fora de portas e cada vez mais artistas e empresas conseguem exportar para outros mercados. A evolução dos números tem sido avassaladora e cada vez se encara a exportação de forma mais profissional, estratégica e focada na música", afirma Hugo Ferreira.

O encontro de Leiria tem a ambição de "capacitar ainda mais os profissionais do setor", transmitindo "o retrato real de crescimento da exportação musical às instituições presentes".

"Entre esse diagnóstico e a partilha de ideias estamos convencidos que, tanto dos profissionais como das instituições, se adoptarão linhas programáticas para um planeamento e uma estratégia cada vez mais eficaz para os próximos anos", diz o responsável da Why Portugal, para que "se atinjam cada vez mais resultados económicos e culturais verdadeiramente significativos, que espelhem a evolução e crescimento da indústria musical portuguesa, dentro e fora de portas".

(Sapo24)