Sete artistas e uma empresa ocupam Incubadora de Indústrias Criativas de Viseu

2018-10-23

Sete artistas e uma empresa ocupam Incubadora de Indústrias Criativas de Viseu

Filipe Santos, Ana Flor, Luís Belo, Carlos Salvador, Bruno Pinto, Sónia Barbosa e Graeme Pulleyn são os artistas que vão ficar instalados, durante dois anos, na incubadora, situada na rua Dr. Luís Ferreira (rua do Comércio), assim como a empresa EON Indústrias Criativas.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, na sessão de assinatura dos protocolos, disse esperar que os artistas contribuam para a dinâmica do centro histórico e para todo o processo de reanimação desta área urbana, que está em curso.

"Há aqui um compromisso da vossa parte de fazerem essa atividade", frisou, considerando que a Incubadora de Indústrias Criativas se assume "como um projeto âncora na estratégia de desenvolvimento do centro histórico".

Design e ilustração, cinema e multimédia, teatro e música, turismo e património são as áreas que os sete artistas e a EON Indústrias Criativas irão trabalhar e que, segundo Almeida Henriques, "interessam muito ao município".

"Estou convencido de que, com a vossa ajuda, este centro histórico vai estar cada vez mais na moda", realçou, lembrando muitos outros projetos do município previstos para esta zona da cidade, que deverão estar concluídos até ao fim do mandato.

O autarca desafiou os artistas a "utilizarem Viseu na lógica de um laboratório onde podem fazer experiências", aproveitando não só as particularidades do centro histórico, mas também de outros pontos da cidade, como, por exemplo, o Bairro da Cadeia.

"Tenho uma grande expectativa em relação ao vosso projeto. Quando é a própria sociedade a gerar estas dinâmicas, elas são mais fortes", considerou.

Com a Incubadora de Indústrias Criativas do centro histórico de Viseu, o município pretende "valorizar talentos artísticos e fomentar uma oferta cultural e turística mais atrativa e diversificada", potenciando também o equipamento municipal disponível.

(RTP)