Líder do PSD defende discriminação positiva dos investimentos no interior

2022-09-13

Líder do PSD defende discriminação positiva dos investimentos no interior

O líder social-democrata assumiu que, neste domínio, pretende “orientar a construção de novas propostas, arrojadas, diferenciadoras” para o futuro.

“Creio que é altura de alguém dizer em Portugal que as políticas de coesão territorial, embora bem-intencionadas, as políticas de investimento que foram feitas nas últimas décadas, embora bem-intencionadas, falharam no seu resultado”, disse.

Luís Montenegro falava aos jornalistas em Tabuaço, no segundo dia do programa “Sentir Portugal”, após um almoço com empresários maioritariamente ligados ao setor do turismo que apontaram “algumas dificuldades” sentidas no interior.

“O país falhou e falhou porque não consegue hoje ter as assimetrias mais atenuadas do que aquelas que existiam há duas ou três décadas e, portanto, temos de ter políticas novas e ter alguma disrupção nas opções que devemos tomar”, acrescentou Montenegro.

Neste sentido, disse que “entre a intenção, as ações e os resultados” do que foi feito no interior do país, “há uma diferença significativa” e, por isso, defendeu a construção de “um modelo diferente de abordagem”.

Montenegro reconheceu que, “nas últimas décadas”, tem havido “um grande esforço de investimento a vários níveis de infraestruturas” e para isso, foram “canalizados fundos e fontes de financiamento muito relevantes", quer nacionais, quer europeus” para o interior.

Só que o resultado que o país tencionava ter com esse investimento, continuou, “que seria fixar pessoas, dinamizar atividades económicas, poder ter menos assimetrias regionais, mais equilíbrio, mais oportunidades de igualdade, está muito longe de ser alcançado”.

O PSD vai “discutir propostas mais disruptivas” que possam “passar por beneficiar de uma forma mais significativa ainda os investimentos no interior, eventualmente à custa de algum financiamento por parte daqueles que são feitos no litoral”.

Lusa