Incêndios são cenário de terrorismo que é preciso denunciar

2022-08-25

Incêndios são cenário de terrorismo que é preciso denunciar

"Não podemos ficar calados e indiferentes. É preciso reagir para pôr termo a tão grande mal. Numa visão teológica da fé são grandes pecados sociais, que devemos saber reparar com respostas de amor e de um bem maior para todos", referiu António Luciano, num texto publicado no 'site' da diocese, intitulado "Senhor, livrai-nos do fogo dos incêndios".

O bispo de Viseu, considerou que os "terríveis incêndios" que se têm registado em Portugal são "um cenário de terrorismo, de mão criminosa, de uma outra guerra que é preciso denunciar".

António Luciano manifestou a sua solidariedade às populações, aos bombeiros e aos elementos da proteção civil e das autoridades, "que incansavelmente combatem até à exaustão tão grande inimigo da natureza", e apelou à responsabilização dos culpados.

"O fogo provocado nas florestas e campos agrícolas, por descuido e incúria de muitos, ou mesmo causado por mão criminosa, tem sempre uma desculpa e um sujeito responsável. Têm de se responsabilizados os autores de tão grandes desgraças e devemos pensar no bem daqueles, que durante estes dias, não tiveram paz, sossego e tranquilidade para combater as chamas", frisou.

Lembrando que os membros do Governo se reuniram com responsáveis das autarquias afetadas pelos incêndios da serra da Estrela para decidir medidas a tomar, António Luciano defendeu que "é preciso apostar na prevenção, inovação e organização das florestas, nas acessibilidades locais, abrir estradas de acesso, apostar na vigilância controlada por sapadores, guardas-florestais, bombeiros, proteção civil e populações".

Na sua opinião, "não basta dizer que Portugal é um jardim à beira-mar plantado, é preciso cuidar dele e com urgência e emergência".

Lusa