Jardins Efémeros arranca com espetáculos de música únicos no país

2022-07-08

Jardins Efémeros arranca com espetáculos de música únicos no país

“Este ano vamos ter um programa bastante forte na área do som. Vamos ter sete apresentações internacionais pela primeira vez na Península Ibérica e onze apresentações internacionais únicas em Portugal”, assumiu a diretora artística dos Jardins Efémeros, Sandra Oliveira, aquando da apresentação do evento.

A abrir o festival, nos primeiros dois dias, estão Ana Roxanne, Vica Pacheco e Cobracoral; e Sam Gendel, Mieko Suzuki e Heather Leigh irão apresentar-se a solo, pela primeira vez em Portugal, e marcam ainda presença Pino Palladino, Blake Mills, Sam Gendel & Abe Rounds, AGF, Hatis Noit, Karolina Rec e Vladislav Delay.

“Somos competitivos na apresentação de discursos absolutamente novos em Portugal”, frisou Sandra Oliveira, considerando que, com estes nomes, “Viseu consegue fazer uma parte de programação e uma parte curatorial inovadora em Portugal”, com “onze apresentações internacionais únicas”.

Os concertos, que habitualmente aconteciam na Praça D. Duarte, nesta edição, devido a “vários problemas por a quantidade de pessoas”, acontecem no Palco Octógono em Círculo (criado à volta do pelourinho do Adro da Sé), no interior e no claustro da Sé.

No total, ao longo de uma semana, serão apresentados 35 projetos na área do som, que incluem uma instalação sonora de Pedro Rebelo e Matilde Meireles, dez sessões de DJ ‘set’ do programa “Pratos da Casa”, seis concertos enquadrados no programa de valores emergentes “Aos Cantos”, quatro concertos selecionados na chamada de artistas na área sonora e dois concertos do programa da “Fora de Rebanho”.

Sob o tema “A incerteza”, a décima edição dos Jardins Efémeros inclui atividades em oito categorias: artes visuais, arquitetura & design, som, cinema, polis, oficinas, mercados e literatura.

 

Lusa