Fernando Ruas defende referendo da regionalização

2022-01-14

Fernando Ruas defende referendo da regionalização

O autarca social-democrata, disse à Lusa que “estamos na presença, pela primeira vez, de um conjunto de vontades que convergem no mesmo sentido: de que a regionalização é necessária”.

Fernando Ruas lembrou que a Associação Nacional de Municípios Portugueses “há muito que se mostrou favorável à regionalização” e que, nas conclusões dos seus congressos, sempre apelou a que se desse início ao processo.

“Agora, vejo as principais figuras unidas em torno deste desígnio, embora divirjam no aspeto temporal”, acrescentou o edil.

Durante o último congresso da ANMP, o primeiro-ministro prometeu organizar um novo referendo sobre a regionalização em 2024. O Presidente da República afirmou que “só em circunstâncias muito excecionais recusaria” convocar um referendo com “aprovação parlamentar”.

Na opinião de Fernando Ruas, não há necessidade de arrastar a realização do referendo para 2024, porque os motivos invocados não são “assim tão substantivos”.

No que respeita ao facto de se estar a viver uma pandemia, o autarca referiu que ainda agora se entrou em 2022 e, relativamente à necessidade de avaliação do processo de descentralização de competências em curso, não lhe parece que “careça de tanto tempo”.

Fernando Ruas continua a defender a existência de cinco regiões plano, que permitiria combater as assimetrias “entre as regiões ditas ricas e as regiões pobres do interior”.

Aludindo às verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o autarca lamentou que nunca sejam destinadas às regiões do interior do país que mais precisam delas.

 

Lusa