Fernando Ruas rejeita pedido da AHRESP

2021-11-30

Fernando Ruas rejeita pedido da AHRESP

O presidente da Câmara de Viseu defendeu que primeiro estão os cidadãos e só depois os setores da sociedade, em resposta ao pedido do vice-presidente da associação de restauração para não desincentivar os convívios de Natal.

Isto porque o vice-presidente da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e presidente da delegação do distrito de Viseu, Jorge Loureiro, pediu para a autarquia não se “precipitar a desaconselhar os convívios de Natal”.

“Queria pedir ao senhor presidente da Câmara para que não ceda a uma tentação que vejo e que nós, na AHRESP, sentimos, que os autarcas, às vezes, um bocadinho naquela vontade muito areosa de serem os primeiros, começam a tomar decisões precipitadamente”, afirmou Jorge Loureiro.

Este responsável falava na conferência de imprensa de apresentação das atividades de Natal da iniciativa do Município de Viseu e das quais a AHRESP é parceira, tal como a Associação Comercial do Distrito de Viseu (ACDV).

Jorge Loureiro disse que a AHRESP tinha “um conjunto de expectativas muito sólidas de que seria um Natal já muito próximo daquilo que foi em 2019 e, de repente, há muitas reservas” em realizar iniciativas.

Na semana passada, a comissão municipal de proteção civil emitiu um comunicado, tendo em conta a evolução da pandemia, a “desaconselhar todo e qualquer tipo de ajuntamentos potenciadores de contágios, nomeadamente a realização de jantares-convívio e festas de Natal, tradicionais nesta época” que poderão conduzir “a um cenário vivido no ano passado, com graves consequências já conhecidas”.

“As decisões que a Câmara de Viseu tomou têm a ver com a forma como analisamos o problema da pandemia. Se alguma vez pensássemos, através das entidades de saúde, que os cidadãos estavam em perigo, teríamos que agir com a celeridade e a responsabilidade que uma situação destas exige”, assumiu hoje Fernando Ruas.