Presidente de Câmara de Nelas transportado para o hospital após reunião "quente"

2021-09-17

Presidente de Câmara de Nelas transportado para o hospital após reunião

Segundo fonte dos Bombeiros de Nelas, o autarca "estava numa situação quase que inconsciente, desorientado e com poucas respostas a estímulos".

"Os valores dos sinais fitais estavam alterados, a tensão estava alta. Depois foi recuperando e levado para hospital", acrescentou a mesma fonte.

Borges da Silva foi primeiro levado para uma unidade de saúde privada e a seguir encaminhado para as urgências do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, onde já efetuou alguns exames médicos.

Ao que o JN apurou o autarca teve uma indisposição depois de alguns momentos mais "quentes" com a oposição, isto quando falta pouco mais de uma semana para as eleições autárquicas.

As reuniões do executivo são muitas vezes "animadas", com trocas de acusações constantes entre o presidente da autarquia e os vereadores da oposição.

Manuel Marques, vereador do CDS, contou que tudo aconteceu após o período da ordem do dia, na intervenção do público, quando um casal foi pedir, mais uma vez, à Câmara para demolir uma casa que se encontra em ruínas perto da sua e que constitui um perigo público.

"Borges da Silva disse que a responsabilidade não era da autarquia. Eu contrapus, lembrando que lei diz que o município pode fazer a demolição, exigindo o ressarcimento aos proprietários do imóvel. Chamei-o de mentiroso e ele chamou-se de ovelheiro", disse.

No calor da discussão o autarca sentiu-se mal, não chegando sequer a dar por encerrada a reunião do executivo.

Manuel Marques acusou ainda Borges da Silva de estar a simular "uma indisposição" para "criar um facto político porque vai perder as eleições".

Apesar das várias tentativas, o JN não conseguiu chegar à fala com nenhum elemento do gabinete de apoio à presidência.

Borges da Silva concorre para um terceiro mandato à frente da Câmara de Nelas. Na corrida estão ainda Joaquim Amaral, atual vereador sem pelouros, que lidera a coligação PSD/CDS e Mário Gandra da CDU.