Dstribuição de fundos do Plano de Recuperação e Resiliência preocupa Viseu

2020-10-15

Dstribuição de fundos do Plano de Recuperação e Resiliência preocupa Viseu

Almeida Henriques disse em conferência de imprensa, no final da reunião do executivo, que olha para o PRR com muita preocupação, porque dos 15,3 mil milhões de euros vê cada vez mais o apetite das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto para consumirem a esmagadora maioria desses recursos.

O presidente da Câmara disse que vê, também, “o apetite das entidades do Estado central que querem consumir estes recursos que são para fazer face à pandemia e à crise económica do país, mas que também têm de ter uma perspetiva de coesão territorial”.

“Até aceito que a gestão seja feita num só organismo a nível nacional, aceito que seja a agência de coesão a fazer a gestão destes fundos, mas é necessário fazer a gestão destes 15,3 mil milhões de euros em articulação” com outras entidades, defendeu o edil.

Uma articulação que Almeida Henriques defendeu que “deve ser feita com os PO [programas operacionais] regionais, com as CIM [comunidades intermunicipais] e com as câmaras municipais”.

Almeida Henriques disse ainda, segundo a Lusa, que vai “exigir uma posição de força na região Centro, em conjunto com a região Norte, porque a região Norte são mais municípios do que a área metropolitana do Porto para que o Governo inverta a filosofia que tem vindo a trilhar e que muito preocupa”.