Mais de 100 mini-eventos com “alma” de Feira de São Mateus vão animar cidade de Viseu

2020-05-11

Mais de 100 mini-eventos com “alma” de Feira de São Mateus vão animar cidade de Viseu

A decisão do Governo de proibir, até 30 de Setembro, a realização de todos os festivais e eventos análogos, levou o Município de Viseu e a Viseu Marca a anunciar o cancelamento da Feira de São Mateus.

Em conferência de imprensa realizada por videoconferência, o presidente da autarquia viseense explicou que “é uma decisão difícil, mas também inevitável”, face às dificuldades de assegurar a segurança sanitária de todos num evento que tem recebido nos últimos anos mais de um milhão de visitantes.

No entanto, Almeida Henriques explicou que está a ser preparado um “plano B”, que prevê a realização de mais de uma centena de mini-eventos ao longo do Verão, por praças, ruas e espaços verdes, que visa potenciar “retoma económica, cultural e turística da cidade e região”.

“Compreendemos as razões da decisão do Governo. Lamentamos apenas não termos sido ouvidos. A Feira de São Mateus é o terceiro maior evento do país e o maior evento da região Centro. Atrai desde 2016 mais de um milhão de visitantes e gera um volume de negócios superior a 80 milhões de euros”, lembrou o presidente da Câmara. “Viseu não atira a toalha ao chão. Quer continuar a ser um pólo de qualidade de vida. A dinamização da restauração, hotelaria e pequeno comércio são decisivos para o eco-sistema local e o emprego”, acrescentou.

Sobre o “plano B”, dependerá da forma como evolui a pandemia e com a segurança das pessoas em primeiro lugar, explicou Almeida Henriques, referindo que o que está pensado é a realização de mais de uma centena de mini-eventos por diversos locais da cidade e ao longo do Verão até ao feriado municipal, no dia 21 de Setembro. “Estou convencido que Viseu poderá ser um dos destinos procurados pelas famílias que optem por territórios de baixa densidade e pelo contacto com a natureza”, adiantou.
“Estou convencido de que este plano B possa animar o centro histórico. Não deixaremos de sentir o cheiro das farturas, o sabor das enguias, mesmo sem Feira de São Mateus. Tudo isso será possível de conseguir”, disse ainda, revelando que poderá haver sessões de cinema em ‘drive-in’ no Campo de Viriato, recinto que habitualmente recebe a Feira de São Mateus.

O vereador da Cultura e gestor da Feira de São Mateus, Jorge Sobrado, deixou a promessa da “melhor edição de sempre” do certame no próximo ano.
“Viver sem a Feira de São Mateus em Viseu é como viver sem a Torre Eiffel em Paris, sem as Ramblas em Barcelona ou sem as praias no Algarve. Viseu é feira e feira é Viseu, é um slogan dos anos 40 ou 50 e, de facto, as nossas identidades estão profundamente ligadas”, sublinhou.

O “plano B” será uma oportunidade para a retoma de actividade de muitos dos 300 expositores do certame. “Não vamos deixar para trás quem nos ajuda a fazer da feira o que ela é”, sublinhou. “Estamos a construir uma alternativa segura e atraente. Será uma programação sensata, com mais de 100 micro-eventos ao longo do Verão, polinucleados na cidade, onde não faltarão imaginários da feira, mas também de outros festivais e eventos de Viseu cancelados por efeito da pandemia”, revelou.

A presidente da Viseu Marca, Cristina Paula Gomes, prometeu que a Feira de São Mateus de 2021 será “uma verdadeira feira de reencontros”. “Este é um momento difícil, onde precisamos de comprovar a nossa resiliência. A Viseu Marca é uma estrutura sólida e um activo indispensável ao marketing territorial de toda a região. Não deixará de reinventar o seu papel nesse contexto”, sublinhou.

Muito brevemente, será apresentado o plano ‘Viseu Investe+’, com um pacote de medidas de reanimação económica local. Nesse plano estará o projecto de digitalização do comércio local e de eventos e negócios como a própria Feira de São Mateus.

(Diário de Aveiro)