União das Misericórdias de Viseu critica ausência de testes e de equipamentos

2020-04-08

União das Misericórdias de Viseu critica ausência de testes e de equipamentos

O presidente do secretariado regional de Viseu da União das Misericórdias criticou a inexistência de testes e de equipamentos de proteção individual prometidos e lamentou a falta de resposta das entidades.

“Onde estão os equipamentos que disseram que iam enviar? Onde estão os testes para realizar aos utentes e aos colaboradores? Onde estão os canais de resposta para estas pessoas que trabalham todos os dias a cuidar dos utentes?”, questionou José Tomás, em declarações à agência Lusa.

O também provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde adiantou que, na sua casa, onde não há infetados, “os colaboradores estão há mais de 14 dias seguidos a trabalhar, numa média de 12 horas por dia, de forma incansável, com uma coragem enorme no meio de todo este medo e sem se queixarem”.

“Há uma certa impotência nas entidades de saúde. O mais fácil é escrever as normas e como deve ser o equipamento e como deve ser usado e em que condições, mas depois a operacionalização, essa, é de quem está no terreno sem o equipamento”, queixou-se.

José Tomás explicou que “há misericórdias no distrito de Viseu a comprar equipamento caríssimo”.

José Tomás enalteceu ainda toda a ajuda que tem chegado, quer por parte da autarquia, de empresas e de organizações de voluntários e pessoas a título individual, “que se desdobram para arranjar equipamento de proteção individual e têm feito donativos às instituições”.