Mangualde cria linha de apoio municipal

2020-03-24

Mangualde cria linha de apoio municipal

A Câmara  lançou  uma linha para reforçar o apoio psicossocial, no dia em que ativou o plano de contingência social de forma a dar resposta às orientações da Direção Geral da Saúde no combate à pandemia da covid-19.

“Esta linha tem como objetivo atender, acompanhar, encaminhar e apoiar nas diversas situações que nos são solicitadas, além de alertar para as burlas, higienização e afastamento social recomendadas”, lê-se num comunicado de imprensa.

O documento explica que este esforço é concertado com outras entidades, municipais e de âmbito nacional, e que “permite ajudar quem mais precisa nesta hora difícil”.

Mas “não se substitui às equipas multidisciplinares que intervêm no território do município, nem ao apoio concedido pelas várias Instituições Particulares de Solidariedade Social nomeadamente, no âmbito do apoio domiciliário”, realça a Câmara.

“O objetivo é de reforçar o apoio psicossocial no município neste cenário de crise epidemiológica, junto dos mais vulneráveis e, por isso, criou uma linha de telefone de apoio municipal ’Estamos Juntos!’”, lê-se.

Assim, disponibilizou diferentes números, para diferentes necessidades, como o atendimento psicológico (969 028 411) e o social (969 029 132/969 028 378) e ambas funcionam entre as 09:00 e as 20:00, diariamente.

“A autarquia pretende auxiliar e proteger as pessoas mais vulneráveis do município de Mangualde, nomeadamente a população idosa com idade igual ou superior a 70 anos, bem como outras pessoas em situação de isolamento social e sem retaguarda familiar”, explica.

Também os “cuidadores Informais com dependentes a cargo com atestado multiuso igual ou superior a 80% e agregados familiares vulneráveis com mobilidade reduzida e/ou problemas graves de saúde” estão abrangidos por esta linha de apoio.

No entanto, “a autarquia reforça e apela para a importância da rede familiar e rede de vizinhança na vigilância dos idosos do concelho, assegurando sempre as recomendações da segurança da Direção Geral da Saúde”.