Viseu recomenda funcionamento de produtivo alimentar e de farmácias

2020-03-18

Viseu recomenda funcionamento de produtivo alimentar e de farmácias

É acionada a Comissão Municipal depois da adoção de um primeiro conjunto de medidas preventivas, após reunida a Comissão Municipal de Proteção Civil e considerando a iminência de ocorrência de catástrofe decorrente da pandemia Coronavírus (COVID-19)", informa o comunicado de imprensa.

O mesmo documento diz que o presidente do município, António Almeida Henriques, "recomenda ainda o funcionamento de todo o tecido produtivo alimentar, por forma a garantir o adequado fornecimento da população, assim como o adequado funcionamento das farmácias, por forma a satisfazer as necessidades da população".

O documento adianta que a autarquia aplicou "restrição às idas aos serviços abertos ao público da Câmara, Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) e Juntas e Uniões de Freguesia do concelho de Viseu, apenas para assuntos urgentes e inadiáveis".

"A prorrogação adicional de prazos, por mais 45 dias (face ao prazo atual), de processos e vistorias, atos jurídicos e/ou de pagamentos de águas e esgotos ou outros, que dependam da decisão da Câmara e/ou do SMAS" é outra medida, lê-se.

Medidas que o presidente da Câmara, António Almeida Henriques, determinou após a implementação de medidas preventivas como o cancelamento eventos e suspendido todas as atividades desportivas, culturais e de educação.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180 mil pessoas, das quais mais de 7.000 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se por mais de 145 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. 

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Dos casos confirmados, 242 estão a recuperar em casa e 206 estão internados, 17 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinala 4.030 casos suspeitos até hoje, dos quais 323 aguardavam resultado laboratorial.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.

(NaM)