Viseu quer ser um destino ‘instagramável’

2020-01-20

Viseu quer ser um destino ‘instagramável’

O vereador da Cultura e do Turismo disse à Lusa que Viseu tem a ambição de ser um destino ‘instagramável’, que é valorizado do ponto de vista da sua imagem nas redes sociais, mas este plano vai muito para além disso.

Neste âmbito, o plano “Viseu 2020. Luz, Câmara, Ação” – que foi apresentado nesta tarde de segunda-feira no Fórum Local de Turismo, reflete o desejo da autarquia de ir “um pouco mais longe do que uma certa efervescência promocional”.

Segundo Jorge Sobrado, é por isso que este plano de ação não se confina à realização de grandes eventos ou de ações promocionais, apostando também na “salvaguarda do património fotográfico e fílmico de Viseu e na formação e educação para o cinema e fotografia”.

“Uma das medidas previstas é a criação de uma imagoteca municipal, que é um objetivo de médio prazo”, avançou o vereador, explicando que “não existe acervo organizado em Viseu, do ponto de vista da fotografia e do cinema, que constitua um referencial de memória visual da cidade”.

A imagoteca surgirá no âmbito do projeto do Museu de História da Cidade, que “terá uma espécie de serviço agregado que cuidará de recolher, salvaguardar e, nalguns casos, recuperar e promover a memória fotográfica” de Viseu.

Jorge Sobrado disse que, com o objetivo de constituir um “arquivo comunitário”, será lançado este ano um apelo às pessoas para que disponibilizem “as fotografias e filmes que sejam testemunhos de tempos de Viseu, de acontecimentos e de tradições, como, por exemplo, da Feira de S. Mateus”.


“No que diz respeito ao cinema, há um acordo com o Centro de Conservação da Cinemateca Portuguesa que está disponível para receber em depósito esses filmes”, referiu, justificando que “o município não terá condições técnicas, nem recursos humanos, para garantir a sua salvaguarda e o seu estudo”.

Jorge Sobrado sublinhou à Lusa, que o plano de ação irá também fazer “um forte investimento” na área da educação e da formação para a fotografia e cinema.

“Ao abrigo dos principais eventos da cidade e no contexto dos trabalhos desenvolvidos em projetos como a Incubadora de Indústrias Criativas do centro histórico, serão realizadas ao longo do ano oficinas que procuram lançar a semente da cultura local para o cinema e a fotografia”, referiu o vereador.

 

(Lusa)