Viseu recebeu 4.º Encludança – Encontro Internacional de Arte e Acessibilidade

2020-01-18

Viseu recebeu 4.º Encludança – Encontro Internacional de Arte e Acessibilidade

Ao intervir no 4.º Encludança – Encontro Internacional de Arte e Acessibilidade, que decorreu no Teatro Viriato, em Viseu, Paulo Pires do Vale referiu que estes agrupamentos se encontram a trabalhar com as medidas propostas pelo programa “Indisciplinar a escola”, que tem como objetivo pensar a cultura de uma forma transdisciplinar.

Se no passado se pensou que a forma de as artes entrarem nas escolas passava por criar mais disciplinas, como Música ou Educação Visual, o Plano Nacional das Artes apresentado em 2019 considera que, por exemplo, “a matemática pode ser trabalhada a partir do teatro e a filosofia através do cinema”, explicou.

Segundo Paulo Pires do Vale, o plano propõe a criação de projetos culturais, que terão um coordenador, “que é uma espécie de programador da escola”. “Esse projeto cultural tem de partir de uma necessidade, de uma questão que aquele território tem à qual a cultura pode dar uma resposta”, frisou.

Outro dos programas é o do “Artista Residente”, que estará na escola não para ser mais um professor, mas “para pensar como é que aí pode continuar a sua prática artística”, respondendo ao que lhe pedem e fazendo propostas. “Por exemplo, em Armamar, numa parceria do Teatro Viriato e do Plano Nacional das Artes,ha uma artista residente a trabalhar este ano”, exemplificou.

Paulo Pires do Vale disse haver a consciência de que, à medida que os projetos foram crescendo, terão de ser arranjadas novas formas de financiamento.

 

(Lusa)