Em Viseu: Tribunal julga improcedente providência cautelar do presidente do Académico

2019-10-18

Em Viseu: Tribunal julga improcedente providência cautelar do presidente do Académico

“Pelo exposto, julgo integralmente improcedente a oposição e, em consequência, mantenho na sua integralidade os termos do arrolamento decretado nestes autos”, pode ler-se na sentença assinada pelo juiz José Alberto Simões do Nascimento, datada de dia 11 de outubro e a que a agência Lusa teve acesso.

Em 26 de julho, o Tribunal Judicial de Viseu tinha dado provimento a uma providência cautelar interposta por André Castro, o ex-diretor desportivo do Académico de Viseu, suspendendo a alienação de 51% das ações que António Albino, presidente da SAD e clube, alega pertencerem-lhe.

 António Albino e o clube avançaram com uma providência cautelar - a qual foi agora julgada improcedente - com vista a suspender os efeitos produzidos pelo procedimento interposto pelo ex-diretor desportivo.

Segundo o juiz que produziu a sentença, “nenhum meio de prova foi produzido, pessoal ou documental, que infirmasse o considerado receio de extravio, ocultação ou dissipação dos bens arrolados”, de acordo com a Lusa.

“Por assim ser, conclui-se, inexistem factos novos que devam ser considerados, porque não antes ponderados, e os novos meios de prova produzidos, que antes não haviam sido considerados pelo tribunal, não afastam os fundamentos da providência decretada (…) ou dissipação dos bens arrolados - nem determinem a sua redução”, refere a sentença.