Enoturismo destaca-se em Viseu

2019-09-20

Enoturismo destaca-se  em Viseu

O enoturismo, quer na parte mais ligada ao vinho, quer na gastronomia ou outra, exige qualificação”, defendeu em declarações à agência Lusa o economista chefe de um banco, que apresentou o estudo em Viseu. O trabalho foi divulgado numa conferência no ambito da sexta edição da Festa das Vindimas que decorre até domingo, em Viseu.

“De uma forma recorrente, mesmo ouvindo, e lendo, sobre quem está no setor, a falta de qualificação dos recursos humanos aparece sempre como um dos principais fatores referidos. É uma dificuldade que a economia portuguesa tem encontrado nos últimos anos em vários setores, mas no enoturismo a necessidade é mesmo grande”, acrescentou.

Um outro desafio apontado pelo estudo, é o da organização dos empresários do enoturismo e, no entender de Carlos Andrade, “tem de haver um esforço de coordenação que tem de passar pelas associações do setor, mas também em coordenação com entidades como o Turismo de Portugal, e também locais, e todos falando podem apresentar uma frente comum”.

O estudo apresentou também alguns dados positivos, apesar de Carlos Andrade lamentar “a dificuldade de encontrar informações sobre uma série de dados importantes, como o de conhecer o tipo de enoturista” que Portugal tem.

Entre os dados positivos de Portugal no ranking mundial do turismo está o primeiro lugar na qualidade de infraestruturas e o nono lugar para a segurança no país e no ranking global da competitividade do turismo, em 160 países, Portugal está na 12.ª posição.