Em Lamego:Processo de execução fiscal põe em risco projetos estruturantes

2019-06-04

Em Lamego:Processo de execução fiscal põe em risco projetos estruturantes

O município foi alvo de um processo de execução fiscal, pela segunda vez este ano,sendo-lhe exigidos mais de 300 mil euros por dívidas contraídas por empresas de Lamego .

Segundo a autarquia, se esta situação não for resolvida a tempo, tal “pode implicar a retenção de verbas por entidades externas e o indeferimento da concessão de empréstimos à linha do Banco Europeu de Investimento, necessários à execução de investimentos estruturantes” para o concelho.

“Devido a uma situação semelhante, já foi indeferida anteriormente a candidatura à realização da empreitada do sistema de recolha, transporte e tratamento de águas residuais na freguesia da Penajoia”, recorda o edil.

Agora, as consequências podem fazer-se sentir na concretização de intervenções associadas a projetos comunitários do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), como a construção da primeira fase do Parque Urbano de Lamego, a requalificação do espaço público do Bairro de Alvoraçães e o estabelecimento do Circuito Pedonal do Relógio do Sol.

O presidente da Câmara, Ângelo Moura, considera que “esta situação é muito grave e altamente penalizadora para a gestão corrente” do município.