Para fazer frente à crise climática, jovens de Viseu querem medidas

2019-05-24

 Para fazer frente à crise climática,  jovens de Viseu querem medidas

Conscientes de que não há um “planeta B”, cerca de 500 alunos de escolas de Viseu faltaram às aulas e juntaram-se no Rossio, em frente à Câmara, para exigirem medidas que resolvam a crise climática.

Uma aluna da Escola Secundária Alves Martins disse que o objetivo é sensibilizar os governadores do nosso país, que não está a ir no bom caminho nesta questão do clima. “Não há planeta B” e “O ambiente não tem preço, eu quero o que mereço” , foram algumas das palavras de ordem entoados pelos jovens.

“O planeta está a precisar de ajuda e nós temos de o ajudar”, justificou um outro aluno.

Milhares de jovens de mais de uma centena de países, incluindo de meia centena de localidades de Portugal, fizeram hoje greve às aulas para protestar contra a inação dos governos em relação às alterações climáticas.

O protesto, o segundo deste ano, serve para alertar os governos para a necessidade de se tomarem medidas concretas para se limitarem a emissão de gases com efeito de estufa, que, segundo os cientistas de todo o mundo, estão a provocar alterações drásticas, graves e rápidas no clima da Terra.

A greve climática estudantil é inspirada na sueca Greta Thunberg, 16 anos, que no ano passado iniciou um boicote às aulas para exigir do parlamento da Suécia ações urgentes para travar as alterações climáticos, um protesto que rapidamente se replicou por todo o mundo.