Viseu sem Jardins Efémeros este ano

2019-03-22

 Viseu sem Jardins Efémeros este ano

Sandra Oliveira, fundadora e diretora dos Jardins Efémeros, numa nota de imprensa conjunta com a Câmara de Viseu, justifica que este projeto, que envolve toda a comunidade, carece de uma pausa para reflexão.

Sandra Oliveira refere estar convencida de que, desta reflexão, “sairá renovadora energia para a sua reorganização e relançamento” com a qualidade que se exige.
Já em 2020, vão renascer uns Jardins memoráveis para todos, sublinha a responsável.

A Câmara de Viseu que, no âmbito do programa municipal Viseu Cultura, tinha atribuído um apoio de 125 mil euros para a edição de 2019, lamenta a suspensão.

“Fazemos votos para que esta seja uma pausa breve, pelo que o município criará as condições para que a entidade promotora do evento possa apresentar nova candidatura ao Viseu Cultura, já este ano, tendo em vista o financiamento municipal à edição de 2020”, refere o vereador da Cultura, Jorge Sobrado, no mesmo comunicado.

O presidente da autarquia, disse aos jornalistas que não estava a contar com esta decisão de Sandra Oliveira, apesar de reconhecer que é legítima. 

Na opinião de Almeida Henriques, “os Jardins Efémeros são, no cartaz cultural de Viseu, um momento importante”, tendo o município reconhecido isso quando aceitou que, no ano passado, o evento durasse apenas cinco dias, e não os dez previstos, mantendo o mesmo financiamento de 125 mil euros.

 “A abertura que deixámos foi de alterar o regulamento para o próximo ano, que vamos aprovar ainda no primeiro semestre, deixando de estar lá a cláusula que penaliza qualquer iniciativa que não seja realizada”, contou o edil.

 O autarca adiantou que está a ser analisada a possibilidade de “assegurar alguma programação cultural durante esse período” de julho.