Autarca de Seia exige que Governo cumpra "o que prometeu" sobre itinerários na Serra da Estrela

2018-03-13

Autarca de Seia exige que Governo cumpra

"Definidos que estão os traçados e emitida a declaração de impacto ambiental, o Governo tem de cumprir o que prometeu, ou seja, avançar em definitivo com a construção dos itinerários complementares da Serra da Estrela, estradas e não autoestradas, que nos ligarão aos principais eixos rodoviários do país", disse o autarca de Seia.

Carlos Filipe Camelo (PS) falava hoje, naquela cidade do distrito da Guarda, na cerimónia institucional de arranque do projeto "Conectividade no Maciço Central", um investimento de infraestruturação de seis concelhos da Serra da Estrela (Seia, Gouveia, Manteigas, Oliveira do Hospital, Covilhã e Fundão), com fibra ótica de nova geração, promovido pela Altice Portugal.

O autarca referiu que o projeto da Altice é importante para o desenvolvimento da região, por isso, aproveitou a oportunidade para alertar publicamente para "a importância da resolução do problema da falta de acessibilidades" aos territórios do maciço central da Serra da Estrela.

"É absolutamente fundamental que o Governo nos resolva esta situação, que nos desqualifica e nos impede de ser ainda mais atrativos e mais competitivos. Se a sua concretização já era, até aqui, facilmente justificável, é hoje ainda mais, considerando a tragédia dos fogos ocorrida entre 15 e 17 de outubro de 2017", afirmou.

Para Carlos Filipe Camelo, o investimento da empresa de telecomunicações, realizado num território de baixa densidade populacional, "constitui uma alavanca para o desenvolvimento económico local e regional, um sinal de grande confiança de um agente privado na região e que deve inspirar o Estado a investir mais".

O autarca disse ainda que o arranque do projeto "Conectividade no Maciço Central" é "um momento importante" e "histórico", porque "vem dotar a região da Serra da Estrela de novas condições infraestruturais que tornam este território ainda mais atrativo".

Segundo a Altice Portugal, o investimento de "vários milhões de euros" pretende "dotar pessoas, empresas, instituições e entidades, de infraestruturas onde nunca houve, permitindo o acesso destas populações a serviços de conectividade de excelência, algo que nunca tinha acontecido até aqui".

Na cerimónia, onde esteve o presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, também discursou a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa.

Segundo a responsável, o projeto promove a "coesão social e territorial" e "vem acrescentar atratividade a estes territórios", seja para atrair mais turistas ou novos investimentos.

A presidente da CCDRC valorizou a aposta da Altice Portugal e desejou que a atitude da empresa "sirva de exemplo a outros grupos económicos".

"Que isto seja exemplo para outros grupos económicos que, de facto, lutam por ter lucros elevados (...), mas que possam utilizar uma parte desses lucros na responsabilidade social que têm", afirmou.

(DN)